banner farmacia  preço baixo
condaron

Quatro dos 26 assaltantes mortos em confronto com a Polícia em Minas Gerais eram de Rondônia. (um era de Urupá)

Adriano Lopes, um dos 26 mortos em confronto com a polícia em Minas Gerais, era do município de Urupá, filho de um comerciante muito conhecido na cidade. também morreram no confronto mais 3 bandidos de Rondônia: Gerônimo Sousa Filho, Muniz Azevedo e Wellinton Gomes.

A Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram uma mega operação conjunta e desmantelaram uma quadrilha de assalto a bancos de alta periculosidade, conhecida como novo cangaço”, em Varginha, no Sul de Minas Gerais, neste domingo (31). Ao todo, 25 criminosos morreram em confronto com as polícias durante a operação, e vários ficaram feridos.

O confronto ocorreu em duas chácaras da cidade. Na primeira abordagem, os criminosos atacaram os PRFs e PMs e 18 vieram a óbito. Foram recuperados 10 fuzis, além de outras armas, munições, granadas, coletes, miguelitos e 10 veículos roubados.

Em uma segunda chácara foi encontrado outra parte da quadrilha e neste local, após intenso troca de tiros, 7 criminosos vieram a óbito, sendo recuperado 3 armas longas calibre .50 e muitos explosivos.

Os corpos dos criminosos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal, onde durante um trabalho de investigação apontaram que pelo menos quatro eram oriundos do estado de Rondônia, todos com passagens pelo sistema prisional, identificados como Adriano Lopes Ventura, Gerônimo da Silva Souza Filho, Munis Azevedo Nascimento e Welliton Gomes da Silva.

Bandido rondoniense era um dos 25 bandidos que foram mortos em Minas

Gerônimo estava sendo procurado pela Polícia Civil da delegacia de homicídios pela morte de um empresário em Porto Velho que era dono de um pet shop na região central da capital de Rondônia.

O caso ainda está sendo investigado e a qualquer momento mais detalhes de informações sobre uma das maiores ações da Polícia de Minas Gerais que resultou na morte de 25 assaltante e a apreensão de um arsenal de guerra.

Comentarios